A Mensagem de Jonas

Neste post vamos analisar a mensagem e o comportamento de Jonas. Para muitos de nós, alguns livros e textos bíblicos são difíceis de compreender, creio que o conteúdo do livro de Jonas é um destes. É difícil de entender porque um profeta decide deliberadamente desobedecer a Deus declaradamente e seguir o seu próprio rumo, até por que os profetas eram conhecidos por sua ousadia e coragem ao declararem a Palavra de Deus.

Uma pista para entendermos o relato de Jonas é olharmos para o seu contexto histórico. Sem conhecer o contexto é difícil entendermos o comportamento do profeta, especialmente quando ele foge do Senhor se recusando em levar uma mensagem de arrependimento à cidade de Nínive.

Vemos no contexto histórico que no tempo de Jonas, o Império Assírio estava começando a se expandir e exercer domínio sobre Israel, instituindo tributos e dominando sobre o país. Jonas era um profeta de Israel e Nínive, a cidade para onde ele fora chamado, era a capital do Império Assírio, então os inimigos de Israel.

Em 2Rs 14:23-25 vemos ainda mais que o profeta havia acabado de ser usado por Deus na restauração dos limites das fronteiras do território de Israel, promovendo uma grande reforma estatal no país. Assim então entendemos que Jonas não era apenas um profeta, mas também uma figura pública muito importante e muito influente em Israel.

Apesar de tudo isso, Jonas é enviado por Deus para Nínive, a capital do império que oprimia Israel, a fim de pregar o arrependimento àquele povo. O amor e devoção de Jonas à Israel era evidente, porém no capítulo 4:6-11 vemos que Deus havia de ensinar-lhe que seu amor pelas pessoas deve exceder todo o seu senso de patriotismo.

A Bíblia em muitas passagens compara a nossa vida como sendo igual a erva do campo. A planta que trouxe alegria a Jonas por causa de sua sombra em Jn 4:9 era uma figura do povo de Nínive. Enquanto a planta estava viva esta trazia grande alegria a Jonas, porém quando morreu entristeceu lhe profundamente. Assim também era a vida do povo de Nínive para Deus.

Da mesma forma que Jonas se alegrou extremamente com a planta enquanto esta vivia Deus ficou extremamente alegre com o arrependimento dos cidadãos de Nínive. Assim então, vemos no relato do livro de Jonas que Deus se importa com pessoas, indiferentemente se as julgamos serem nossos inimigos ou não.  Acima de tudo, precisamos entender que nossas atividades ministeriais jamais podem ter primazia sobre o amor de Deus por aqueles que estão perdidos.

Assim como Jonas se entristeceu com a morte daquela planta, em 2 Pedro 3:9 somos lembrados de que “Deus é longânimo para conosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.”

Related Posts