Formula Mágica da Paz

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” Fp 4:6-7

Temos experimentado uma transformação social onde o pragmatismo tem influenciado as diferentes áreas de nossas vidas, inclusive a nossa vida religiosa. Este pragmatismo religioso tem causado inúmeras feridas – principalmente na expressão do Cristianismo – encurtando o Caminho de Jesus através da criação de atalhos que buscam as maneiras mais práticas de preencher os vazios de um sujeito que é por natureza, tanto hedônico quanto narcisista.

No relacionamento com o campo religioso atual, o sujeito então busca de forma sincrética, experiências maravilhosas e transcendentes com o sagrado, rejeitando como um produto descartável, todo movimento religioso que não venha a suprir de imediato suas próprias necessidades. Impulsionado pelas múltiplas escolhas na sincrética cultura de mercado da fé, o sujeito atual, tanto pragmático como imediatista, compra para si mesmo aquele “produto” que irá de forma mais rápida solucionar o seu problema, ou suprir a sua necessidade.

Portanto, como consequência desta mudança social, podemos ver hoje o surgimento de um “Cristianismo das Fórmulas Mágicas” que mistura elementos bíblicos com àqueles da auto-ajuda, criando assim atalhos que seduzem as massas, que por sua vez são regidas pelos impulsos de seu consumismo. Nunca antes na história viu-se como agora o “Cristianismo dos Passos e das Campanhas”. Algumas publicações cristãs de hoje incluem, “Os 7 Passos para a sua Prosperidade Financeira”, “7 Passos para os Seu Destino” e nossos cultos incluem “Campanhas dos 7 dias para Derrubar os Seus Gigantes” ou “as muralhas de Jericó”. É diante deste quadro que gostaria de analizar teologicamente a passagem em Filipenses 4:6-7.

Muitos, porque buscam viver em paz, veêm estes versículos como se fosse uma destas fórmulas mágicas. Porém ignoram a essência do seu sentido, que implica em mudança profundas e transformação de vida, e não apenas um band-aid descartável para a nossa falta de paz.

Acima de tudo, o Cristianismo é uma prática diária  e não uma pílula que se toma 1 vez e resolve todos os nossos problemas. Ele é uma terapia diária, uma solução para longo prazo, uma caminhada para todos os dias e uma prática contínua.

Paulo então desvenda os segredos para uma vida repleta da paz de Deus nestes versículos. Vemos aqui neste texto o que na exegese bíblica chamamos de “elementos de oposição”. Paulo expressa; “Não andeis ansiosos por COISA ALGUMA; em TUDO porém…” O sentido do texto implica em duas práticas contínuas. Fazendo uma releitura poderíamos ler assim, “Não andeis em momento algum na prática da ansiedade e sim na prática contínua da oração e súplica.” Em momento ALGUM andem ansiosos, porém orem por TUDO. Paulo aqui enfatiza que a oração e súplica, seguida por ações de graças é o antídoto para a ansiedade e o catalizador da paz.

É importante notar aqui também a ênfase dada por Paulo quanto à frequência que se deve orar. Ansiedade, em momento algum. Oração, em todos os momentos. Paulo enfatiza a oração como sendo uma prática diária, uma solução para todos os dias. É a partir daí então que obtemos os resultados do versículo 7, a paz de Deus que excede todo entendimento. Com o uso da conjunção coordenativa “e” Paulo implica que o resultado do versículo 7 só é alcançado após a prática proposta no versículo interior.

Da mesma forma que não devemos andar ansiosos, na prática da ansiedade, Paulo nos aconselha à andarmos na prática da oração e súplica, seguidas por ações de graças. Este versículo é um apelo para mudarmos a nossa caminhada. Deixar de caminhar na prática na ansiedade para caminharmos na prática contínua da oração. Uma vida repleta da paz de Deus está intrinsicamente ligada à prática da oração diária, onde tiramos tempo para apresentar nossas petições em oração na presença de Deus. Portanto, uma vida de paz está diretamente ligada a presença de Deus em nossas vidas.

Em conclusão, vemos nestes versículos que a ansiedade é subjulgada por meio da oração, e que isto não é um ato imediato, mas sim um resultado de uma prática contínua e diária. Em 1 Ts 5:17 Paulo nos aconselha a “orarmos sem cessar”. Que possamos praticar a presença de Deus diariamente, para que pela oração e súplica, possamos controlar a ansiedade causada muitas vezes pelos impulsos de nosso imediatismo.

Related Posts